Entrevista

foto de Heloisa Rocha

Heloisa Rocha

Cardiologista, especializada em terapia ortomolecular e nutrição.

Treinar significa usar nosso corpo além do que é considerado normal, independente do treino que escolhemos: aeróbico, endurance, sobrecarga, resistência, lazer, etc. A médica Heloisa Rocha conta que sempre exigimos mais do que o nosso corpo precisaria fazer em condições normais. “Para falarmos de alimentação, atrelada à atividade física, devemos levar em consideração o tipo de atividade, a sua duração e intensidade para que possamos realizar bem o nosso treino e evitar os desgastes oxidativos causados pelo esporte”, esclarece a profissional.

A maioria das pessoas, por desconhecimento ou “preguiça” de se informar, acaba não atingindo os resultados esperados no treino. Não porque o treino está incorreto, mas sim, por não se alimentarem direito. “Dessa forma não dá para atingir a condição ideal para que o corpo maximize o uso de sua energia nesse momento, com isso, além de não atingir os objetivos, não ajudam a promover um bom momento regenerativo pós-treino”. Portanto, se alimentar de forma estratégica é tão importante quanto treinar com frequência para que alcance a sua saúde perfeita e o seu corpo ideal”, ensina a especialista em terapia ortomolecular, Heloisa Rocha.

Na avaliação da médica é importante deixar claro que a individualidade metabólica, a rotina, a intensidade e tipo de treino têm que ser levados em consideração quando um cardápio vai ser sugerido a um paciente. “A procura por um profissional de saúde é necessária. Essas dicas podem ser aproveitadas por pessoas ativas, que treinam com uma frequência de 3 vezes por semana, que fazem musculação e aeróbico, visando ter mais energia e performance no seu treino, evitando fadigas pós-treino, queimar gorduras e melhorar a sua massa muscular”, explica a profissional. Confira abaixo dicas do que comer antes e depois do treino:

 Pré-treino   

Durante o treino, o corpo precisa de energia, e essa energia conseguimos diretamente da glicose, que vem dos alimentos – fontes de carboidratos.  Se a quantidade de glicose antes do treino não tiver sido fornecida, o corpo perceberá a situação de risco que estamos impondo a ele, e imediatamente irá buscar energia extra da forma mais rápida para garantir a nossa vida, então passa a usar as proteínas como fonte energética, e assim perderemos massa muscular. Além de não atingirmos nosso objetivo, passamos a sentir sintomas que nos avisam de que não estamos no caminho correto: cansaço, desânimo, dores, queimações na musculatura, sensação de desmaio, etc.

Pós-treino

Logo após o treino, temos outro tipo de situação: nessa fase, o corpo entra num processo regenerativo, ou seja, ele passa a refazer as fibras musculares danificadas durante esse treino, e nesse momento, o quanto pudermos oferecer de matéria prima para essa regeneração acontecer, melhores serão os resultados.  Lembre-se que antes a prioridade para que a nossa máquina funcione é a energia, e logo após esse trabalho nos deparamos com uma situação de déficit energético (gastamos o que comemos antes do treino), logo precisamos repor essa energia para que o metabolismo continue ativo e colabore com o processo de regeneração muscular. Então, além de energia, devemos fornecer proteína, que são os “tijolos” para se construir musculatura. Sem a energia e a proteína, o nosso corpo não terá como trabalhar e todo o benefício do treino em termos de definição muscular deixarão de acontecer.

Cardápio

REFEIÇÃO PRÉ-TREINO

Energia de liberação rápida: treinos aeróbicos mais intensos, pois a digestão deve ser rápida nesses casos.

a) 1 a 2 porções de frutas (qualquer uma).

b) 1 copo de suco natural de fruta.

c) 1 a 2 colheres de óleo de coco líquido.

Energia de liberação lenta: para treinos de musculação, pilates e outras atividades de média intensidade.

a) 1 porção de fruta  +  3 colheres das de sopa de cereais.

b) 1 copo de suco de fruta natural e uma barrinha de cereal.

c) 2 fatias de pão integral com geleia light e uma água de coco.

DURANTE O TREINO

Sempre que o seu treino se estender por mais de uma hora, é importante complementar o aporte de energia garantindo a sua performance e evitar a queima muscular.

a) Gatorade ou preparados já disponíveis no mercado (em pó, líquido e em gel) de carboidratos.

b) 350 ml de água de coco.

c) Uma colher de sopa de óleo de coco líquido.

PÓS TREINO:

Sob a forma de alimentos:

a) Um sanduíche de pão integral com queijo branco ou cottage e peito de peru ou peito de frango ou atum.

b) 250 ml de iogurte desnatado com frutas ou cereais

c) 150 gramas de batata doce ou uma omelete de claras + 2 torradas integrais ou uma tapioca doce ou salgada.

Sob a forma de suplementos: uma porção de carboidrato em pó. Uma ou duas doses de proteína hidrolisada ou isolada, com média de 25 gramas de proteína.

Newsletter


BLOG MAIS VISTOS


Mais um passo rumo ao sucesso

Mais um passo rumo ao sucesso

Leia Mais
Pequenos grandes cuidados

Pequenos grandes cuidados

Leia Mais
Mantendo o brilho e a suavidade dos cabelos tingidos

Mantendo o brilho e a suavidade dos cabelos tingidos

Leia Mais
CAC 2012 – Plantar sonhos para colher um mar de rosas

CAC 2012 – Plantar sonhos para colher um mar de rosas

Leia Mais

CATEGORIAS


Novidades

SIGA-NOS