Fadiga Crônica: descubra 10 razões para o seu cansaço sem fim

Fadiga Crônica: descubra 10 razões para o seu cansaço sem fim
Compartilhar:

Publicado: 18/08/2021

Categorias: Saúde

A fadiga crônica é muito mais do que um tipo de mal-estar que demora a passar e, sim, uma síndrome. Quem sofre dela, sente um tipo de cansaço forte, persistente e até mesmo incapacitante.

Uma constante falta de energia é prejudicial para a vida de qualquer pessoa. Por isso, é bom entender quando um cansaço prolongado pode estar atribuído a um período mais intenso da sua vida.

Ou se existe alguma chance de você estar sofrendo com essa doença. Então, continue lendo para conhecer os principais sintomas, causas e como é feito o tratamento da Síndrome da Fadiga Crônica (SFC).

O que é Síndrome da Fadiga Crônica?

Mais conhecida como fadiga crônica, essa síndrome (SFC) é um tipo de doença inflamatória. Complexa e inexplicável, ela atinge milhões de pessoas todos os anos ao redor do mundo.

Apesar de já ter sido alvo de inúmeras pesquisas, até hoje não possui origem conhecida. Mesmo sem ser física ou psicologicamente comprovada, caracteriza-se como SFC quando:

  • Seus sintomas iniciam durante ou depois do indivíduo sofrer uma infecção viral;

  • Uma é fadiga (exaustão) com duração de no mínimo 6 meses consecutivos;

  • Mesmo com repouso o indivíduo não se sente mais disposto;

  • Ao realizar atividades físicas e mentais a fadiga intensifica.

Em geral, é possível notar sinais de sua existência quando a pessoa permanece fatigada mesmo depois de descansar. O que inclui situações de longo repouso que parecem não surtir nenhum efeito.

Na maior parte dos casos, a causa do seu acontecimento não é conhecida. Contudo, os fatores mais comuns para sua ocorrência são os estressantes de tipo:

  • Psicológicos - relacionado às emoções e sentimentos;

  • Orgânico - oriundo de infecções.

A principal faixa etária atingida por essa síndrome é a de pessoas entre os 20 a 50 anos de idade. Mas, ela pode afetar ainda crianças e idosos, sendo num geral, mais comum entre mulheres.

Quais são os sintomas mais comuns?

Os sintomas para esse cansaço sem fim são variados e podem ser de ordem psicológica ou genética

Os sintomas da fadiga crônica são diversos, sendo a sensação de constante cansaço a principal. Eles podem ir dos mais leves até os mais graves, que incapacitam o indivíduo. Confira abaixo os principais:

  • Linfonodos doloridos (gânglios), em regiões como axilas e pescoço;

  • Dores de cabeça com tipo, padrão ou intensidade novos;

  • Mal-estar após realizar esforço por mais de 24 horas;

  • Dores articulares com edema ou vermelhidão;

  • Problemas na concentração e memória;

  • Dor muscular e nas juntas;

  • Ganho ou perda de peso;

  • Olho e/ou boca seca;

  • Sono não reparador;

  • Dor de garganta;

  • Dor abdominal;

  • Formigamento;

  • Tosse crônica;

  • Irritabilidade;

  • Dor no peito;

  • Ansiedade;

  • Depressão;

  • Tonturas;

  • Diarréia;

  • Náuseas.

Quais são as causas da fadiga crônica?

Sem nenhuma causa comprovada ainda, a SFC possui controvérsias dentro do campo médico. Muito se discute sobre sua origem ser mental ou física, individual ou múltipla.

De toda forma, para quem sofre com ela os sintomas existem e lidar com eles é cansativo tanto para a mente, quanto para o corpo. Hoje, a concordância mais provável é de que existem mais de uma causa para a fadiga crônica, tais como:

  1. Fatores ambientais: exposição a determinadas substâncias ou componentes presentes no ambiente de determinada região, podendo desencadear essa doença;

  2. Anomalias imunológicas: um sistema imune com alterações ou desregulações também são apontadas, suspeitando-se ainda da influência de alergias;

  3. Doenças infecciosas: estudos têm sugerido que vírus e bactérias que causam infecções podem ser um dos possíveis desencadeadores da doença;

  4. Fatores genéticos: seja através de uma predisposição genética natural ou desenvolvida ainda por fatores ambientais em uma família;

  5. Fatores emocionais e físicos;

  6. Doenças auto-imunes;

  7. Vida sedentária;

  8. Hipoglicemia;

  9. Depressão;

  10. Anemia.

Apesar de existirem todas as suspeitas levantadas acima, nenhuma possui comprovação. Portanto, as causas permanecem desconhecidas até o momento.

Quando devo procurar um médico e de que especialidade?

Ao sentir um cansaço prolongado que deixa seu corpo debilitado ao menor esforço, essa é a hora. Especialmente quando associado a qualquer quadro de dor entre os citados anteriormente.

Considere também, se não existe nenhuma explicação clínica para a forma como você vem se sentindo. Se todos esses pontos forem o seu caso, o quanto antes procurar um médico melhor.

Dessa forma é possível realizar um diagnóstico precoce e iniciar o tratamento o quanto antes. Esse varia de acordo com os sintomas, pois visa seu controle e recuperação.

No processo de investigação, alguns exames laboratoriais podem ser pedidos com finalidade de descartar outras doenças. Os principais pedidos são:

  • TSH - hormônio estimulante da tireóide;

  • Velocidade de hemossedimentação;

  • Anticorpos antinúcleo;

  • Anticorpo anti-HIV;

  • Fator reumatóide;

  • Exames de ferro;

  • Hemograma;

  • Urinálise;

  • Cortisol;

  • PPD.

Em geral, é comum que o paciente primeiramente passe por consultas junto a um clínico geral. Caso qualquer outra doença seja descartada por ele, o mesmo irá fazer o encaminhamento do indivíduo a um reumatologista ou neurologista.

Mas existe uma série de médicos especialistas que podem identificar essa doença. Bem como, atuar em conjunto no seu tratamento.

Existe tratamento para a Síndrome da Fadiga Crônica?

Sim, o tratamento varia de acordo com o que cada indivíduo sente, como mencionamos acima. Mas em todos os casos, algumas recomendações são feitas, tais como:

  • Tratamentos para os sintomas psicológicos;

  • Tratamento para dor e problemas no sono;

  • Técnicas de relaxamento e meditação;

  • Moderação nas atividades rotineiras;

  • Exercícios feitos de forma graduada;

  • Terapia cognitivo-comportamental;

  • Terapias alternativas;

  • Alongamentos;

  • Acupuntura;

  • Yoga.

Certos casos podem incluir ainda o uso de medicamentos para insônias, dores, depressão, entre outros. Após o diagnóstico, o mais comum é que o médico passe uma combinação de tratamentos, com objetivo de controlar e curar a SFC.

 

Conclusão

A Síndrome da Fadiga Crônica se caracteriza como doença inflamatória que não possui uma causa comprovada. Mas, há a suspeita de que ocorra por diferentes motivos em cada caso.

Mesmo assim, ela possui sim tratamentos que podem proporcionar a cura do paciente. De forma que ele possa voltar a viver bem e aproveitar atividades tanto físicas, quanto mentais.

Estar atento aos sinais que nosso corpo dá é sempre muito importante. Ao perceber que sua falta de energia tem durado mais que o normal, é a hora de procurar um médico.

Se você gostou do conteúdo, deixe sua opinião nos comentários e compartilhe-o para conscientizar mais pessoas acerca dessa síndrome.


 

Newsletter


BLOG MAIS VISTOS


Mais um passo rumo ao sucesso

Mais um passo rumo ao sucesso

Leia Mais
Pequenos grandes cuidados

Pequenos grandes cuidados

Leia Mais
Mantendo o brilho e a suavidade dos cabelos tingidos

Mantendo o brilho e a suavidade dos cabelos tingidos

Leia Mais
Problemas de visão: descubra 3 doenças que mais afetam os idosos

Problemas de visão: descubra 3 doenças que mais afetam os idosos

Leia Mais

SIGA-NOS


Posts relacionados

Mente sã: há ou não a hora exata para procurar um psicólogo?
Mente sã: há ou não a hora exata para procurar um psicólogo?

Muitos acreditam existir uma hora certa de se procurar um psicólogo. Será que isso é verdade? Veja a importância disso para sua saúde mental.

Leia mais