3 coisas que você precisa saber sobre medicamentos genéricos

3 coisas que você precisa saber sobre medicamentos genéricos
Compartilhar:

Publicado: 23/07/2021

Categorias: Medicamentos

Os medicamentos genéricos são conhecidos e populares, ainda assim despertam algumas dúvidas em alguns consumidores mais desconfiados. Eles são tão eficazes? Qual a diferença deles para os “originais”? O que são medicamentos de referência e patenteados? 

Uma coisa é certa sobre esse tipo de medicamento, encontrá-los com preço mais em conta não é sinônimo de baixa qualidade. Pelo contrário,  sua qualidade é a mesma que a dos outros medicamentos.

Para sanar, então, as mais diversas dúvidas desse tipo de medicamento, separamos 3 coisas essenciais que você precisa saber sobre eles. Vamos falar ainda, o que é preciso se atentar na hora da compra. Continue lendo e saiba mais!

O que são os medicamentos genéricos?

Os medicamentos genéricos são produtos que possuem o mesmo princípio ativo de um medicamento de referência. Todos eles recebem certificação da Anvisa antes de serem comercializados.

Os chamados genéricos, podem então substituir medicamentos de marca que foram prescritos pelo médico, geralmente, acabam sendo mais acessíveis. A caixa de um produto genérico está estampada com uma tarja amarela com a letra G, que serve para indicar que aquele produto é o genérico.

Por não conterem uma marca, geralmente a caixa vem informando apenas o princípio ativo do medicamento.

Todos os medicamentos passam por uma avaliação da Anvisa antes de serem comercializados. Portanto, o genérico é um produto seguro para consumo.

O produto genérico é então, a cópia do produto de marca, mas que são rotulados como genéricos pois a patente do produto original expirou para uso exclusivo de um fabricante.

Então, outros fabricantes podem usar a fórmula, produzindo assim, uma versão genérica, no qual não desqualifica em nada sua eficácia.

Os genéricos se distinguem pelos seguintes fatores: 

  • Prazo de validade do medicamento;

  • Embalagem;

  • Rotulagem;

  • Tamanho e forma do produto.

1. A fórmula é a mesma?

Os remédios genéricos, como dissemos, possuem fabricação com os mesmos princípios ativos para que possam proporcionar o mesmo efeito terapêutico no organismo. Sua única diferença é o fato de não terem marca. 

Sua administração é feita de modo regular e pode ter uma comercialização segura como um substituto do medicamento de referência. Somente pode ser feita a substituição do medicamento por conta do médico ou farmacêutico responsável. 

Em geral, economiza-se bastante fazendo essa troca, isso porque remédios genéricos costumam sair cerca de 35% mais em conta que o produto de referência.

2. Os genéricos são confiáveis?

Tanto a qualidade quanto a confiança desses medicamentos não se pode discutir, pois a Anvisa testa todos os produtos antes deles terem comercialização. Então eles precisam estar de acordo com as regras e padrões impostos. 

Portanto, não há nenhum perigo quanto ao uso do medicamento, pois além de seguros e baratos, são eficazes. O teste de qualidade para checar um produto é feito por meio da Anvisa através de um material técnico que explica todos os processos.

A empresa fabricante deve mostrar todos os testes de laboratório e também exibir quais foram as técnicas usadas durante o processo de produção. Depois de todos os documentos analisados, se faz a contraprova, os resultados vão para comparação e eles devem apresentar formulação idêntica ao produto original.

Em caso de diferença, o medicamento é recusado e devolvido para o laboratório para que possa haver mudanças na fórmula até que sejam equivalentes.

Se não ficarem exatamente iguais aos remédios de referência, a empresa então deverá registrá-lo como um medicamento similar e não genérico. As vantagens de um medicamento genérico envolvem:

  • Alternativa de tratamento viável e segura;

  • Podem substituir medicamentos mais caros;

  • Fórmula idêntica aos de referência;

  • Eficazes.

3. Vale a pena consumir medicamentos genéricos que são mais baratos?

A população em geral tem receio de produtos que são cópias ou que são relativamente mais acessíveis que os produtos de marca.

Ainda que esses produtos tenham autorização para comércio e sejam aprovados para consumo. Em relação a produtos genéricos, muita gente não sabe como ele funciona.

Sendo assim, há uma grande dificuldade para compreender que o remédio genérico nada mais é do que uma cópia segura de um produto de marca.

E por se tratar de uma cópia, seu preço muitas vezes pode ser mais atraente que o do produto original, facilitando assim, o acesso à população. 

A razão pela qual os medicamentos genéricos circulam hoje em dia, é puramente por conta da lei dos genéricos, onde se estabeleceu em 1999, que a população tinha direito de ter mais acesso a medicamentos.

Isso porque a lei viabiliza a comercialização de produtos que tiveram sua patente expirada, para outras empresas que possuem desejo de produzi-lo.

É preciso apenas que essas empresas sigam os padrões estabelecidos, que incluem que os medicamentos devem ter:

  • A mesma dosagem;

  • A mesma forma farmacêutica;

  • O mesmo método de administração que o medicamento original;

Portanto, não há o que temer quanto a seu consumo. A diferença do valor final para o consumidor em comparação ao produto original, é somente por conta dos gastos de desenvolvimento do produto.

Para que um medicamento novo entre no mercado, é preciso que haja muito tempo, pesquisa e dinheiro.

 Por conta do genérico ser apenas uma réplica, não há necessidade de ter esses gastos, visto que ele já aconteceu antes para a elaboração do produto.

O que se atentar ao comprar medicamentos genéricos?

Quanto ao consumo do produto genérico, não há risco algum à saúde, visto que eles foram desenvolvidos em segurança e passaram por testagem antes de irem a comércio, como já foi dito.

O único risco de forma geral ao fazer consumo de medicamentos, independentemente se forem genéricos ou não, é quanto a automedicação.

Todo medicamento deve ser ingerido apenas por meio do aconselhamento médico, visto que ele tem consciência dos efeitos que o produto irá proporcionar na vida do paciente.

Dentro das farmácias, geralmente há remédios que não precisam de receita para serem comprados. Sendo assim, vai da consciência do consumidor saber utilizá-lo.

O farmacêutico tem como papel, prestar o devido atendimento ao consumidor quanto às informações do produto.

Conclusão

Ao longo deste conteúdo, vimos um pouco sobre os medicamentos genéricos, o que eles são, como são feitos, sua eficiência e outras questões importantes.

Os medicamentos genéricos são fundamentais para que a população tenha uma cartela maior de opções, e consiga tratar sua saúde de modo mais acessível.

Você pode encontrar medicamentos genéricos em qualquer farmácia de sua região.

Nos diga aqui se esse conteúdo foi útil para tirar suas dúvidas quanto a esse assunto e compartilhe-o com outras pessoas que possam ter a mesma questão.

Newsletter


BLOG MAIS VISTOS


Mais um passo rumo ao sucesso

Mais um passo rumo ao sucesso

Leia Mais
Pequenos grandes cuidados

Pequenos grandes cuidados

Leia Mais
Mantendo o brilho e a suavidade dos cabelos tingidos

Mantendo o brilho e a suavidade dos cabelos tingidos

Leia Mais
Problemas de visão: descubra 3 doenças que mais afetam os idosos

Problemas de visão: descubra 3 doenças que mais afetam os idosos

Leia Mais

SIGA-NOS


Posts relacionados